sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A propósito do cinema americano

Acho que um artista deve ter um compromisso com a vida, espelhar o que ela é e não mostrar uma falsificação, um sonho qualquer, uma consolação irreal e piegas. Os que se submetem a essa deturpação, por qualquer fraqueza ou malícia que seja, deixam de ser artistas e se tornam meros mercenários, negociantes, e com eles todos que participam de seus projetos, transformando a arte num jogo sujo e sem sentido, numa alienação.